segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Estação das Artes é palco de debate sobre políticas para Juventude

               O 1º Fórum Metropolitano de Hip e Hop e Juventudes que foi realizado ontem (16-01) na Estação das Artes teve boa participação de membros do movimento Hip Hop da maioria das cidades da região Metropolitana da Baixada Santista e contou com pessoas vindas da capital, do grande ABC como Ribeirão Pires e de Marília no interior do estado. O local escolhido deu um ar de interior para o evento, mas revelou um patrimônio em estado de abandono que é o imóvel da antiga estação ferroviária e que é hoje a Estação das Artes. 
                A discussão motivada pela mesa que foi composta pelo diretor da Secretaria de Juventude de São Vicente, Danilo Otto, a membro da Central Única das Favelas de Guarujá – CUFA, Mina Su e o palestrante e também presidente do Conselho de Cultura de Marília Eric Meireles de Andrade girou em torno do desenvolvimento de políticas voltadas para a juventude onde a Cultura Hip Hop tem papel de destaque. Andrade ressaltou a importância da criação de políticas voltadas para o público jovem, mas fez a seguinte observação: “Política pública de Juventude não pode ser um oba-oba. Tem que saber pra onde vai”. O palestrante também citou as dificuldades dos artistas em geral de captar recursos públicos e enumerou como sendo a primeira dificuldade das entidades artísticas a parte da legalização, a segunda a dificuldade seria a montagem de projeto e a terceira a prestação de contas. Eric também lembrou que é muito importante para todos ligados ao movimento cultural lerem o Plano Nacional de Cultura em lembrou da imensa dificuldade que tem o movimento Hip Hop de se unir e disse: “Planejar significa ter acesso”, conta.
                Otto falou sobre a importância da participação dos jovens nas discussões, pois poucos se interessam e falou dos projetos desenvolvidos em São Vicente voltados para a juventude como o Tubo de Ensaio, Jepom e muitos outros. Mina Su representante de Guarujá falou do trabalho que a CUFA vem realizando na cidade utilizando a arte como inclusão social e mostrou a preocupação do envolvimento dos jovens com o crime e convidou a todos a participarem da CUFA Guarujá.
    Estação das Artes
               O diretor cultural, Joaquim Teixeira, acompanhou os membros do Conselho de Cultura que estavam presentes no Fórum para um passeio pelo local e foram até o outro lado da estação. Foi mostrada as condições do imóvel que se encontra ocioso, somente sendo utilizado como depósito e que necessita de reformas urgentes. Joca como é mais conhecido citou o desejo da Secretaria de Cultura de tornar o local num ponto para eventos culturais
                                                            
                     Saia justa

                Ao fazer uso da palavra o membro do Conselho de Cultura de Cubatão, Paulo Rodrigues, citou a expressão Cultura de Gueto se referindo ao Hip Hop, o que causou uma pequena saia justa entre os presentes e para os organizadores, mas que não teve maiores conseqüências.