terça-feira, 2 de junho de 2015

Sessão volta a ser paralisada

   
  A Sessão da Câmara foi novamente paralisada por conta da votação do parecer do Tribunal de Contas que rejeitou as contas de 2011 da atual administração. Dos 9 vereadores presentes quatro se retiraram (Jair do Bar, Ricardo Queixão, Fábio Moura e Wagner Moura), todos da base de sustentação do atual governo. Fábio Roxinho e César Nascimento não compareceram à sessão. Segundo o assessor jurídico da Câmara, Roberto Faro Mello, o documento voltará a ser votado na próxima sessão: “o documento tem que ser votado no mínimo em 60 dias, já passou. Tem mais de 120 dias”. Quanto à obstrução Mello informa que é um direito do vereador, podendo obstruir quantas vezes achar que deve. Estiveram presentes na sessão além dos vereadores que se retiraram: Aguinaldo Araújo, Ademário, Dinho, Ivan e Doda.
Desempregados e Briga jurídica
      
    Apesar da curta duração da sessão as galerias estavam lotadas na sua maioria formada por desempregados, que compareceram com faixas com dizeres pedindo emprego nas indústrias para os trabalhadores da região. Um fato curioso também ocorreu entre o diretor jurídico da Prefeitura e ex-vereador, Mário Gochi e o assessor jurídico da Câmara, Roberto Faro Mello que discutiram de forma ríspida. Perguntado sobre o ocorrido Gochi disse apenas se tratar de discussão jurídica, enquanto Faro Mello visivelmente contrariado e sem entrar em detalhes desabafou: estou nessa casa há 30 anos e nunca vi isso acontecer (referindo-se ao motivo do bate-boca com o colega advogado).