quarta-feira, 29 de março de 2017

Aprovação da Reforma Administrativa revolta servidores

                      A sessão da Câmara que votou o projeto de Reforma Administrativa criado pelo Executivo foi antecedida de verdadeiras cenas de barbárie. Os servidores foram impedidos de entrar nas dependências do Legislativo, o que gerou uma grande revolta nos manifestantes, que decidiram bloquear o acesso à Câmara para os vereadores, levando a Direção da Casa a acionar o policiamento. Alguns manifestantes mais exaltados quebraram dois vidros da parte frontal da Câmara como resposta ao impedimento de entrar no recinto, também foram fixados cartazes com dizeres contrários aos vereadores, prefeito e principalmente contra o Projeto de Reforma Administrativa que tira direitos do servidor público.
                    A Tropa de Choque da Polícia Militar foi acionado para garantir o acesso dos vereadores e assessores ao prédio, e lançou bombas de efeito moral na direção dos manifestantes, que se dispersaram rumando para Avenida 9 de Abril em frente a Paróquia Nossa Senhora da Lapa, onde o trânsito foi interrompido temporariamente. Os manifestantes retornaram ao paço e permaneceram nas imediações, enquanto o choque se posicionou à frente da entrada da Câmara, numa verdadeira cena que remetia aos tempos da Ditadura Militar. Dentro do plenário já com a presença da Imprensa, os vereadores aprovaram três projetos que fazem parte da Reforma Administrativa por 13 votos a favor e um contrário, o voto do vereador Ivan Hildebrando. A surpresa ficou por conta dos vereadores que outrora fizeram parte do Governo anterior terem votado em favor do atual governo, inclusive os pertencentes ao PT.