sexta-feira, 12 de novembro de 2010

CUBATÃO DANADO DE BOM

               *Depois do sucesso do projeto Cubatão Danado de Bom, onde a idéia central é resgatar a cultura nordestina desde seus costumes até a culinária e tradições como um todo, a cidade de Cubatão, a região da Costa da Mata Atlântica e o estado de São Paulo, podem comemorar a altura das grandes festas nordestinas que ocorrem na região norte e nordeste do país.Precisa ter coragem para encarar desafios e foi com determinação que a administração abocanhou o projeto de Cultura Nordestina e o transformou no primeiro PRODUTO TURÍSTICO do estado com característica diferenciada e específica. Focamos e enaltecemos a importância de um povo que há muito vem desbravando espinhos em nome de um progresso e se faz jus uma homenagem de tamanha envergadura, pois basta de tanta descriminação e falta de apoio para um segmento da sociedade que, com humildade, mas com força e garra, sempre se mostrou aguerrido e pronto para as batalhas do dia a dia. Saímos do ostracismo que a cidade não é turística ou não oferecia alternativas para se considerada turística, basta lembrarmos que temos na amada Cubatão um enorme pedaço da mata atlântica com toda a sua reserva natural e uma biodiversidade jamais encontrada em cidade da região e para mostrarmos essa grandeza natural, precisávamos de algo que fosse forte e tivesse raízes e/ou identidade e foi com maestria e organização que Cubatão Danado de Bom se mostrou gigante, belo e alegre, mas com a certeza que tudo é um começo de uma longa estrada a ser percorrida , pois é inadmissível a cidade não receber verba do DADE; (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias) e não sermos contemplados pelo estado, através da Agem; (Agencia Metropolitana da Baixada Santista) ou Condesb; (Conselho de Desenvolvimento da “Região Metropolitana da Costa da Mata Atlântica”), na agenda financeira e também na distribuição de diversas atividades em regiões turísticas.Cubatão está de portas abertas para o desenvolvimento e começa a mostrar com um olhar humilde e respeitador para as outras cidades, mas com elegância e competência para dizermos que também existimos e queremos estar todas juntas, afinal é longa a luta para sermos, de fato, uma região metropolitana.

Antonio Simões/Koquinho Guerreiro
Assistente Social e pós-graduando em Gestão de Projetos.
Fone: 30259005

*O artigo é de responsabilidade do seu autor, não sendo propriamente a opinião do blog.