sábado, 18 de fevereiro de 2012

Conheça a letra do Samba Enredo da Nações Unidas



Miscigenação: A força e a voz de um povo

Compositores: Joãozinho, Fernando Negrão, Gustavo Santos e Imperial


Intérpretes: Joãozinho da Brasil, Zumbi, Peba, Fernando Negrão, Gustavo Santos e Christian











NAÇÕES UNIDAS, num só cantar
Meu SANGUE AZUL é raça pra sambar
Trago na pele a sedução
Bendita seja MISCIGENAÇÃO

Meu manto azul e branco a balançar
Um rio grandioso a desaguar
Nas matas onde o índio se uniu
Com os outros filhos do lugar
Das águas do mar
O homem branco aportou
Se misturou e começou a explorar
Do seio da terra, a riqueza do chão
O sangue então de derramou
Foi a maré da invasão

Lamento ê... o céu chorou
De tanto ver... tristeza e dor
Das mãos de oxalá o axé fluiu
Eis a África – Brasil!

Riqueza cristalina assim batiza
Divino encontro para eternizar
Riachos de tantos caminhos
Que se unem pra formar
Meu Brasil de tantas faces
De um povo mestiço e feliz
Diversas culturas, sublime mistura
Com raça e bravura, venceu todo mal!
Que as águas do amanhã, venham nos banhar
Lavando a alma nesse Carnaval!